, , ,

7 coisas ajudar lidar com “primeira adolescência ou Terrible Two”, a fase desafiadora dos 2 anos de idade

7 coisas que vão te ajudar a lidar com a “primeira adolescência”, a fase desafiadora dos 2 anos de idade.

Parem as máquinas, seu bebê está crescendo!

Quase um teste para o que virá muitos anos mais tarde, a fase que alguns psicólogos chamam de “primeira adolescência” ocorre por volta dos de idade. Há quem chame de “Terrible Two” (“Terríveis Dois”) e há quem ache graça na mudança de temperamento que se mostra nessa etapa da vida da criança. A verdade é que, por mais desafiador que seja lidar com novas demandas, a fase que começa aos 2 anos e pode ir até os 4 é das mais interessantes.

Esse momento é quando a criança está se descobrindo como ser humano, experimentando o mundo e inclusive testando vários limites. É um misto de imaturidade com uma vontade ávida de aprender. Justamente por ser tão fundamental para o desenvolvimento do , é preciso paciência para lidar com esses “experimentos” que podem se mostrar desafiadores. Separamos 7 dicas para ajudar a tornar o aprendizado mais fácil.

Suco de pepino com melão para desinchar rapidinho: veja medidas certas do preparo!
Filhos de celebridades que são muito parecidos com seus pais
Vídeo: Pequena heroína! Garota de 5 anos salva mãe de afogamento

1. Prevenir é o melhor remédio!

Quando forem dar um passeio, a criança pode reagir melhor se souber previamente onde vocês vão, o que farão ao longo do dia. Criar rotinas é uma boa maneira de evitar possíveis escândalos em casa ou em locais públicos. Se o lugar escolhido for um restaurante ou shopping, ela poderá se sentir menos contrariada se souber o comportamento esperado em locais como esses e que as pessoas fazem lá – como comer e conversar à mesa.

2. Mantenha o diálogo aberto

Digamos que os bons resultados vêm da união da persistência com o afeto. Explicar com clareza e calma cada passo ou atitude que você gostaria que seu filho tivesse costuma ajudar no controle de atitudes intempestivas.

3. Ser coerente é fundamental

Estabelecer limites é importante, mas ser coerente é fundamental. Se o momento preferido da birra é o horário do almoço, por exemplo, tente insistir para que ele termine, mas sempre explicando que não é possível substituir esses alimentos e sugira que ele poderá ter o que deseja na hora do lanche. E lembre-se: o que é regra hoje deve ser regra amanhã e depois. É importante para a criança saber claramente quais são os limites de situações importantes.

4. Quanto mais claro, melhor

A expressão facial e o tom de voz adequados são muito importantes para deixar claro para a criança a sua reprovação, quando necessária. É importante também ficar na altura dela, se abaixando ou sentando, para passar a informação olhando nos olhos.

bebe comida papinha fruta 1

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

5. Ter calma é muito importante

Este é o momento na sua vida de mãe que talvez você precisará ter mais calma. É fácil esquecer que essa é apenas uma fase que você enfrentará na vida do seu filho e vai passar. Se você se esgotar a cada crise, possivelmente tornará ainda mais cansativo para você e para a criança.

6. Procure incentivar o sucesso

Por mais que às vezes pareça o contrário, as crianças nessa época querem muito agradar os pais. Experimente dar uma tarefa em um tom de “missão impossível” e divirta-se observando o empenho com que elas realizam uma atividade para, no fim, ganhar seu reconhecimento. Fazer seu filho se sentir importante e também integrado a um grupo de pessoas o deixará menos entediado, inclusive.

Criança herda inteligência da mãe, diz estudo
Essa mãe deixava o filho sozinho com o marido. Câmera captou o que eles faziam.

7. Alternativas limitadas são a melhor opção

É importante tentar sempre cumprir o que você prometer/oferecer à criança. Ao invés de fazer uma pergunta geral ou dar uma ordem a criança, que tal limitar as opções? Perguntar “você quer uma pera ou uma banana de lanche?” pode ser melhor do que apenas “o que você quer comer?”, dando margem a opções muito amplas, mas ainda dando liberdade para que ela exerça seu poder sobre esses limites.

criança brava photo
Photo by Amanda Truss /clash

 

Photo by Beraldo Leal

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *